Rua Salvador Simões, 596, - Ipiranga - SP
(11) 5060-2740

Anote Aí Gestor: o que é o bloco K?

Se você é um gestor, certamente já ouviu galar do Bloco K e caso não saiba o que é, saiba que essa é uma ferramenta que promete acabar com a sonegação fiscal! Toda a indústria está correndo contra o tempo a fim de adequar-se a essa nova forma de controle.

Esse clima de corrida é devido a chegada do ano de 2019 em que toda a indústria brasileira que não esteja enquadrada no Simples Nacional e também no MEI, terão que entregar o Bloco K ao fisco.

Curioso para saber mais sobre essa ferramenta de fiscalização? Continue lendo esse texto, falaremos o que é e também os seus impactos nas empresas que necessitarão entrega-la.

AFINAL, O QUE É O BLOCO K?

Quando pesquisamos a respeito do Bloco K encontramos a seguinte definição mais frequentemente: este é uma das partes de informação do EFD – ICMS/IPI e integra o SPED. Mas o que são essas siglas?

EFD significa Escrituração Fiscal Digital e nada mais é que um conjunto de escriturações de documentos que são utilizados pelo fisco dos estados e também pela Secretaria da Receita Federal do Brasil a fim de realizar a apuração de impostos referentes a ocupação do contribuinte.

Já o SPED se trata de um Sistema Público de Escrituração Digital desenvolvido pelo Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados) há vários anos. O seu foco está justamente em modernizar a administração tributária e aduaneira.

Mas e o Bloco K no meio a tudo isso? Bem, esse é uma versão digital do Livro de Controle de Produção e Estoque no qual as corporações devem apresentar os relatórios a respeito do estoque e produção.

É através desse sistema que o fisco poderá apurar as informações necessárias para o cálculo do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadoria) e IPI (Imposto sobre Produto Industrializado).

O ponto da implementação desse sistema é justamente acabar com a sonegação fiscal! Isso forçara todas as empresas enquadradas a se organizar, afinal de contas, qualquer diferença de inventário poderá atrair a atenção do fisco, gerando multas e outras sanções.

QUEM DEVE ENTREGAR?

A entrega da forma digital do seu controle de estoque e produção é obrigatório para todos os estabelecimentos industriais e a eles equiparados.

Sendo assim, se você se enquadra nessa definição, fique atendo para enviar o Livro de Registro do controle de Produção e do Estoque como um arquivo digital SPED Fiscal.

AS INFORMAÇÕES EXIGIDAS PELO BLOCO K

  • Quantidade Produzida;
  • Quantidade de materiais consumido;
  • Quantidade produzida em terceiros;
  • Quantidade de materiais consumida na produção em terceiros;
  • Movimentações internas de estoque que não ligadas à produção;
  • Materiais de propriedade da empresa e em seu poder;
  • Materiais de propriedade da empresa e em poder de terceiros;
  • Materiais de propriedade de terceiros em poder da empresa;
  • Lista dos materiais de todos os produtos que são fabricados na produção própria e em terceiros.

2019 é o prazo final para que todas as empresas enquadradas comecem a enviar o Bloco K mensalmente. Sendo assim, nada de deixar essa pendência para depois.

Para mais informações como essa, continue acompanhando o nosso blog!

Deixe seu comentário